O PseudoAutor

Minha foto

Baiano nascido numa tarde de julho de 1991. Agnóstico e hipster, estudante de História, apaixonado por simbologias, mitologias e animais pré-históricos.

Escreve amadoramente desde 2007; após alguns anos e quase trinta livros rascunhados, Alec publicou uma coletânea de histórias curtas (Zarak, o Monstrinho, Multifoco, 2011), um conto numa antologia sobre répteis cuspidores de fogo (Dragões, Draco, 2013) e um romance autobiográfico fantástico (A Guerra dos Criativos, independente, 2013), além de algumas obras virtuais na Amazon.

Atualmente se divide em pesquisas para projetos literários e coordenação editorial de um selo independente.

Visitas

Dicas do PseudoEscritor: Como começar a escrever?


Como eu já devo ter dito em algum lugar, não sou um escritor dos mais notáveis, inteligentes, famosos ou originais, mas tenho uma criatividade assombrosa (e não é um elogio). Minhas ideias vão desde povoar meus livros com monstros retirados de alguma mitologia (vide dragões, fadas, elfos, centauros, trolls, deuses) a criaturas exclusivas, algumas presenteadas pelos amigos (vide douncearks, povos que se alimentam de ossos).

O motivo desta postagem é uma forma de passar aquilo que aprendi e uso a quem volta e meia me procurando pedindo ajuda. Claro que não sou muito bom nisso, mas eis algumas coisas que me são valiosas.

  • Comece com histórias curtas.

É a primeira de todas as leis para se escrever. E não estou dizendo para você começar a escrever contos, pois eles são complicados, exigem uma grande habilidade de sintetizar as coisas, de ser capaz de começar e terminar uma ideia com certa perfeição. Sugiro iniciar com qualquer texto mesmo. Poesia, diário, textos soltos. Use um caderno pequeno, de poucas folhas e vá escrevendo. Logo terá uma ideia que poderá ser interessante.

  • O que você gostaria de ler?

Há uma frase dita por Toni Morrison que define bem minha motivação para escrever:

"Se há um livro que você quer ler, mas não foi escrito ainda, então você deve escrevê-lo."

Portanto, pergunte sempre "O que eu gostaria de ler?". Afinal, o primeiro leitor de sua ideia é você, que a escreverá.

  • Planeje o que pretende contar.

Admito que odeio roteiros, odeio mesmo ter de planejar o que escrever, como escrever, mas não é nada ruim planejar um pouco as coisas, montar perfis de personagens, pensar em vestuário, em cenários, em nomes, em lugares. É um exercício criativo, além de proporcionar a você ter muito material quando começar a escrever sua história.

  • Faça trechos avulsos.

Não sei se funciona com todos, mas visualizar cenas e escrevê-las a bel-prazer, até mesmo as mais isoladas, permite a você trabalhar a imaginação, reunindo material para as suas histórias, permitindo que você não esqueça algum detalhe importante. Meu primeiro livro, Ariane, teve uns cinco capítulos escritos assim, sendo posteriormente reunidos por trechos escritos em sequência.

  • Leia muito!

É algo que todos dizem, mas vale a pena ressaltar. Mas, não perca tempo lendo livros determinados. Leia sobre tudo! De revista de horóscopo a bula de remédio, de livro didático a jornais. Seja capaz de ler um pouco de tudo, mesmo aquilo que não goste. Encare até um dicionário! Ou você terá um rico vocabulário ou terá conhecimento breve de coisas que poderão enriquecer sua história.

  • Escreva apenas sobre aquilo que você entenda ou corra o risco de avançar em terrenos desconhecidos!

Meu primeiro livro era sobre um rapaz que se apaixona por uma deusa grega. A trama se desenrolava em parte no Olimpo, noutro mundo que criei, e na cidade que moro, Luís Eduardo Magalhães (Bahia). Naquela época eu já tinha conhecimento de mitologia greco-romana. Posteriormente, fui adquirindo coragem para ir além, como no atual livro, O Fantástico Mundo do Absurdo, no qual tive de pesquisar muito sobre mitologia celta. Enfim, faça aquilo que achar melhor para sua ideia!


Bem, tem mais coisas, mas creio que estas bastam para se iniciar seu longo caminho. Qualquer dia, se me der na teia, posto mais. E lembre-se: você pode ignorar tudo isso e escrever suas próprias regras, assim como geralmente eu faço quando não sou a favor de algo! =P

2 comentários:

Hayane Souza disse...

Li e já sabia de tudo isso. Rs. Não que eu esteja te esnobando. Eu sou somente preguiçosa, Alec. E só.
Mas entendo do ramo.
A boa notícia é que estou lendo novamente. E rápido! To pegando meu ritmo antigo. Não demora muito e volto a escrever mais!
:)

Alec Silva disse...

hehe

Pois é... Não é segredo, né? E me lembro de ter dito isso a vc ano passado, acho..

E volte a escrever mesmo!

XD