O PseudoAutor

Minha foto

Baiano nascido numa tarde de julho de 1991. Agnóstico e hipster, estudante de História, apaixonado por simbologias, mitologias e animais pré-históricos.

Escreve amadoramente desde 2007; após alguns anos e quase trinta livros rascunhados, Alec publicou uma coletânea de histórias curtas (Zarak, o Monstrinho, Multifoco, 2011), um conto numa antologia sobre répteis cuspidores de fogo (Dragões, Draco, 2013) e um romance autobiográfico fantástico (A Guerra dos Criativos, independente, 2013), além de algumas obras virtuais na Amazon.

Atualmente se divide em pesquisas para projetos literários e coordenação editorial de um selo independente.

Visitas

Poema: Ai de Toda Essa Saudade! (Alécio Silva)



Ai de toda essa saudade sofrida,
Que me consome a cada instante,
Que abre em meu peito pulsante
A mais mortal de todas as feridas!

Ai de toda essa dor — angustiante —
Que me arranca a paz tão querida
— E cujos sonhos me eram guaridas —,
Sufocando-me com lembranças delirantes!

Sofrerei, talvez, a eterna certeza
De sofrer pela ausência
Da senhora da grande beleza

Que me conquistou com seu sorriso,
Marcando a minha breve existência
Com a falta de quem nunca esteve comigo.

0 comentários: