O PseudoAutor

Minha foto

Baiano nascido numa tarde de julho de 1991. Agnóstico e hipster, estudante de História, apaixonado por simbologias, mitologias e animais pré-históricos.

Escreve amadoramente desde 2007; após alguns anos e quase trinta livros rascunhados, Alec publicou uma coletânea de histórias curtas (Zarak, o Monstrinho, Multifoco, 2011), um conto numa antologia sobre répteis cuspidores de fogo (Dragões, Draco, 2013) e um romance autobiográfico fantástico (A Guerra dos Criativos, independente, 2013), além de algumas obras virtuais na Amazon.

Atualmente se divide em pesquisas para projetos literários e coordenação editorial de um selo independente.

Visitas

Microconto: Morte [Alec Silva]

Um pequeno texto que fiz há pouco, num momento de depressão e pensamentos avulsos. Espero que gostem.

— Algum arrependimento? — perguntou a Morte, fechando o livro que continha os nomes daqueles que visitaria ainda naquela noite.

— Alguns, talvez — replicou o velho, num suspiro curto e fraco. — Acho que de perder meu tempo contemplando o pôr-do-sol, das cartas de amor que deixei de escrever, dos sonhos que deixei de realizar, das palavras que sempre quis dizer, mas tive medo.

— Estranho — treplicou a Dama da Foice, ficando a face fria do falecido. — Você está morto a mais tempo do que pensei.

0 comentários: