O PseudoAutor

Minha foto

Baiano nascido numa tarde de julho de 1991. Agnóstico e hipster, estudante de História, apaixonado por simbologias, mitologias e animais pré-históricos.

Escreve amadoramente desde 2007; após alguns anos e quase trinta livros rascunhados, Alec publicou uma coletânea de histórias curtas (Zarak, o Monstrinho, Multifoco, 2011), um conto numa antologia sobre répteis cuspidores de fogo (Dragões, Draco, 2013) e um romance autobiográfico fantástico (A Guerra dos Criativos, independente, 2013), além de algumas obras virtuais na Amazon.

Atualmente se divide em pesquisas para projetos literários e coordenação editorial de um selo independente.

Visitas

É o fim


Recolhem os livros.
Devolvem aquilo que foi emprestado.
Olham os quadros pela última vez.
Mal se olham.
Mal se falam.
Sensação estranha.
Dali para frente, sombras, lembranças apenas.
Alguém sempre chora.
Ou deixa uma lágrima escorrer.
Alguém quer falar.
Mas é só silêncio.
O primeiro sai.
Não olha para trás.
Levou o que lhe pertence.
O último fica.
Um quarto vazio.
Pega sua caixa.
Deixa algumas lembranças por aí.
Apaga a luz.
É o fim.